VÍDEO-DANÇA

Nossa seleção de vídeo-dança e de vídeos de dança exibe possibilidades de criação de dança de artistas independentes e de estudantes de dança e artes do corpo no período de isolamento social causado pela pandemia de Convid-19.

Todas as obras ficarão em exibição em fluxo contínuo no nosso canal no Youtube e na TV UFSC até o dia 22/11.

 

ANTICORPOS
INVESTIGAÇÕES EM DANÇA (UFOP)

Dez artistas da dança impedido/as de continuarem seus processos de criação na sala de trabalho devido à quarentena vivida pela/os brasileira/os com a chegada da pandemia gerada pelo COVID-19, decidem continuar suas pesquisas e produções à distância, tentando criar assim possibilidades de transformar a espera em uma ação. Livremente inspirado nos cordéis da série Pandemia da editora n-1 edições, o projeto QUARENTENA propõe criar 40 vídeos-poema de 40 segundos cada, compartilhando as reverberações artísticas de ambas as pandemias que nos atravessam neste momento.

Artistas envolvidxs no projeto:
Amanda Marcondes, Bárbara Carbogim,  Cláudio Zarco, Daniela Mara, Diego Abegão, Éden Peretta, Fernando Del, 
Jefferson Fernandes, Marina Freire e Vina Amorim.

DUPLAS SUPERFÍCIES (FLORIANÓPOLIS, SC)

O processo de criação de Duplas Superfícies se atrela às mudanças de comportamento desencadeadas pela pandemia da Covid-19. Com a nova situação, o ambiente doméstico foi sendo experimentado a partir de aulas de dança, ensaios e encontros virtuais. Diana Gilardenghi reuniu artistas visuais e da dança, pessoas da área de psicologia, antropologia, dentre outras, cujo interesse nas questões do corpo/dança permitiu uma diversidade e heterogeneidade nos modos de transitar por superfícies e visualidades. Ela mesmo idealizou e conduziu o processo de criação coletiva. O trabalho prosseguiu com a colaboração de Hedra Rockenbach, artista multimídia que nesse momento investigava possibilidades de efeitos e gravações em plataformas de encontros virtuais. As experiências visuais produzidas resultaram em seis vídeos que agora transitam independentes pelo espaço virtual.

Proposição e Direção: Diana Gilardenghi
Vídeo/Gravação ao vivo e finalização: Hedra Rockenbach
Com: Lucy Montardo, Lucila Vilela, Vera Torres, Sandra Meyer, Marisa Solá, Paloma Bianchi, Iam Campigotto, Thaís Roloff, Giorgio Gislon, Lilian Yamaguchi, Josefina Hernandez Daels

ÁUDIOS DESESPERADOS DE QUARENTENA (MG)

Proposta cênica em experimentação audiovisual para estancar a dor da separação, da doença, do alarme, da ignorância que nos aterrorizou no trato pandêmico e político no ano de 2020.  
Áudios de telefone de amigas e amigos poetas em suas narrativas eloquentes que contam o detalhe, o desacordo, a bobagem ou a profusão profunda, vindos de São Paulo, Rio, Japão, Floripa, do aeroporto, da sala, cozinha, cama, do riso, da veia dilatada. 
Eu, Gisele Petty, em Casa Branca/ Brumadinho – MG, vivendo no mato experimentando a vida do macaco, da galinha da árvore voltei a dançar. Foram criados 5 vídeos curtos, para cada qual um título e tema. Na ordem que emergiram são eles: O amante paraguaio, Fungo, Lavação, Vênus Quarentena, Dança para lembrar do amigo.

Captação de imagens e edição – Gisele Petty
Atuação e Concepção: Gisele Petty
Nos Áudios: 
O amante paraguaio: Antonio Salvador
Fungo: Luciana Mitkiewicz
Lavação: César Rezende Santana
Vênus Quarentena: Tathiana Valério, Natacha Dias, Karin Araújo, Mariana Corale, Ana Chiesa, Débora Zamarioli, Daniela Petty, Cristina Maranhão.
Dança para lembrar do amigo: Fabrício Licursi

EXPERIMENTAÇÕES PEDAGÓGICAS EM DANÇA 

NA PANDEMIA (FURB)

Como estudar e produzir dança à distância? O desafio foi colocado como questão e também como busca por uma reinvenção da prática e ensino artístico para os professores do país e do mundo. 

Com a pandemia a sala de aula, antes espaço coletivo, se transformou em lugar individual, onde cada estudante - dentro das suas casas e possibilidades espaciais - desenvolveu seu processo. Assim surgiu o projeto " As experimentações pedagógicas em dança"  da Universidade regional de Blumenau (FURB), única graduação de dança de Santa Catarina. As experimentações pedagógicas propostas pelos docentes foram  exercitadas  dia a dia entre os 40 alunos. O estudo resultou numa interessante produção artística de 15 vídeos de dança, vídeo-danças, danças gravadas e danças para a tela.

VÍDEODANÇA EM CASA

Para incentivar a produção e a difusão de videodança em casa neste momento de quarentena em todo o país, o pioneiro das relações entre vídeo e dança no Brasil, o
Dança em Foco – Festival Internacional de Vídeo & Dança junto com o IMARP– Mostra Internacional de Dança, Imagens em Movimento e a plataforma VIDEODANÇA+ iniciaram uma ação curatorial colaborativa abrindo a primeira convocatória no Brasil de obras de 1 minuto de videodança realizadas, gravadas e editadas nos lares dos realizadores durante o período da quarentena. A seleção foi feita pelos curadores Leonel Brum, Regina Levy (Dança em Foco), Denise Matta (IMARP) e Sarah Ferreira (VIDEODANÇA+) que fizeram parte desta iniciativa. 

dentro de casa em dia de sol – Alice Tibery Rende
Janela – Gabriela Jung
Ser paradoxal – Ingrid Labeta
07 – Duna Dias e Socorro Dias
Tormenta – Soraya Vargas
Revoar Patricia Ressureição
Pulse- Michel Schettert
Espiral- Dinah Schonhaut
“LADO B”- Viqui Cozzarín
Manhãs- Luísa Pitta

A N T I T E M P O 2 - Fabiano Nunes
A fantástica história dos pés - Lucas Fonseca e Sandro Lima
Cuidado ao sair do armário na quarentena - Fernanda Xavier Sabino de Oliveira
Dança das mãos limpas - Rafaela Lima
"Suspended/ S.O.S.PESI" - Filomena Rusciano
08 - Duna Dias
Recanto - Anne Loise

D-ISOLADA Roberta Oliveira
Fase Desescalada - Klara Vallmajor Lluch
Abrazos - Alba Vergne López

FREQUENTE MENTE - Matheus Brusa
La Dialatación del tiempo - Diana Gloria Solari Brandolín
TikTok Studies - Talita Torres
Incomuns - Cia de Dança Marcos Klein
Averno - Alveré Di Pilato
@contra_self para videodança #2 - Di Li (Elidiana Lima)
Noturna - Carolina Natal
Lapso - Bia Perez
"EXPECTING" - Lilian Tosi de Melo e Bruna Belinazzi
Pijama ao Luar - Lilian Tosi de Melo e Lissandra Ribeiro

(Re)Invenções do tempo - Isra Sullivan
Efêmero - André Rosa
Eco - Areté Colectivo de Dança
Que vas hacer con el resto de tu vida - Leila Abrahão
Monotonia do fim da tarde - Marthinha Böker-Tôrres
Iso Lado - Ivaldo Mendonça e OM.
"Mãos aumentam mundos" - Camila Venturelli
travessia - Maryah Monteiro
Límites en cuarentena. Pensamientos que navegan. - José García y Lina Acevedo.
EM SI - Branca Peixoto, Alysson Rodrigues e Gabriel Telles
Pensar&Sentir la danza - Andrés D. Abreu y Ricardo R. Gómez

Ação 1 - o que lembro tenho - Davidson Xavier
Altamira - Jardel Augusto Lemos
Pés ao Luar - Lucas Leal
Campo Aberto - Gabriela Jung
Quando o sol desenhava a parede - Gabriela Jung
Desabito - Karen Janaina
Tocar - Sol Souza

Fade - J.C. Júnior
Manobras em Chamas – Ingrid Labeta
Materialidades - Caludinei Sevegnani
Lumini - Plêiade Cia de Dança / Intérprete: Rafael Dias
Ressignificar espaços - Marie Bueno
Solta - Claudinei Sevegnani
Sounds of my silence - Plêiade Cia de Dança / Intérprete: Marcos Teófilo
Não passa - Mosaico Cia de Dança (Direção: Alba Vieira)

Artrópode - Marjorye Maciel e Mayara Luz
Flutua - Claudinei Sevegnani
Exhale - J.C. Júnior
Entre fronteiras e diversidade - Dança sem Fronteiras
Minhas mãos sentem falta do chão, meus pés sentem falta do ar - Theo Coelho
Haikaimusikai 1 - não vou não - Camila Venturelli, Renato Garcia e Nana Carneiro da
Cunha
Geométrico Apartamento - Rodrigo Augusto de Souza Antero
Encantada - Agustina Martínez
Pele - Jardel Augusto Lemos
Caminando con pajaros- Mariana Morais
Parte a parte - Alba Vieira e Ana Tamires
A passeio - Thales Ferreira e Tatiana Del Gadelha
Pies Fragmentados – Vale Garcia

 

CLIPÔ pour Anne Sng & Romain Cieutat :

Planet Ra + Dragons (2 en 1)

CLIPÔ é uma playlist de homenagens. CLIPÔ é uma sequência de músicas dançadas, filmadas, tocadas, montadas, editadas até virar um clip. Um clip feito em casa, amparado no amadorismo e portanto no que há de mais amável. CLIPÔ é colocar em imagem, rosto, cor e intensidade a nossa admiração por certos artistas da música e pelo prazer do movimento que eles suscitam. CLIPÔ é feito do abraço de Volmir Cordeiro, Bruno Pace e Carolina Janning.

Dança: Volmir Cordeiro

Câmera: Bruno Pace

Vídeo: Carolina Janning e Bruno Pace

Concepção: os 3

PEQUENAS MORTES,

de Vina Amorim (MG)

O vídeo-dança "Pequenas Mortes" surge com o intuito de reconstruir e reelaborar imaginários pessoais e coletivos da constituição do ser humano ao problematizar sua afirmação como ser pensante. Partindo das metáforas e desusos do conceito de "Petit Mort" de Georges Bataille, a dançarina propõe imagens que transitam entre a forma com que o ser humano trata o corpo morto e a sua relação patologizante da vida. E o faz parafraseando imagens latentes e atuais no contexto da pandemia do covid-19: desde a banalidade da morte até a emergência e valoração do pensamento sobre outras formas de vida. Em uma perspectiva surrealista, tropical, escalofriante, a dança nos transporta a um cenário precário e ao corpo debilitado que vive em um mundo de pequenas mortes.

Concepção/dança/direção: Vini Vina Amorim 

Direção de fotografia: Gustavo Maia

Direção de arte: Iuna Hermínio 

Montagem: Gabriel Motta

©2020 por Semana da Dança UFSC.